Programa SENAI de Ações Inclusivas - PSAI. Brasil

País: 
Brasil
BR
Alcance geográfico: 
Nacional
Fecha ejecución inicio: 
2009
Fecha ejecución fin: 
2010
Objetivos: 

Incluir nos cursos do SENAI, pessoas com necessidades especiais (deficientes/condutas típicas e altas habilidades), expandir o atendimento a negros/índios, oportunizar acesso das mulheres aos cursos estigmatizados para homens e vice-versa, bem como, re-qualificar na educação profissional pessoas acima de 45 anos e idosos.

Población objetivo: 

Público vulnerável, especialmente questões de gênero, raça/etnia, pessoas com deficiência (intelectual, visual, auditiva, física e múltipla), idosos, reabilitados de acidentes na indústria, entre outras.

Descripción: 
O PSAI hoje é um Programa reconhecido nacionalmente e internacionalmente, que através do apoio da CNI e especialmente da Direção do SENAI tem se consolidado no cenário da educação profissional. Proporciona a criação e difusão de metodologias que atendam o público vulnerável, cumprindo assim o princípio de fazer educação profissional para todos os cidadãos.
 
O SENAI-DN, responde por orientações as ações desenvolvidas pelos Departamentos Regionais (DRs) no âmbito dos estados e municípios e desenvolve a criação de metodologias apropriadas para serem testadas e disseminadas junto ao público-alvo.
 
O DN, como órgão orientador, sugere, informa, atualiza, solicita alinhamento quanto ao posicionamento estratégico, técnico e político relacionado às vertentes do PSAI, mas quem faz o operacional são os Departamentos Regionais que, hoje, assumem o PSAI como um programa inovador, sendo que todos os estados são responsáveis no alcance das metas estabelecidas.
 
O Programa justifica-se:
  • Quanto à vertente PNE-Pessoas com Necessidades Especiais do PSAI, é importante levar em consideração o Decreto 3.298/99, retificado pelo Decreto 5.296/04 que ratifica a Lei 7.853/89, o qual dispõe sobre a obrigatoriedade legal das indústrias contratarem de 2% a 5%, pessoas com deficiência, surge ai a necessidade de ações orientadas pelo Departamento Nacional para capacitar e preparar esta clientela para atender a demanda da indústria.
  • Outras justificativas estão presentes no Art. 2°, parágrafo único do Decreto 5.598 de 1° de dezembro de 2005, o qual regulamenta a contratação de aprendizes e dá outras providências, o qual registra que o "aluno aprendiz portador de qualquer deficiência não tem limite de idade para participar dos cursos de aprendizagem", isso amplia significativamente a oportunidade dessa clientela participar das capacitações em tal modalidade que entendemos como a modalidade de maior relevância para nossa Instituição.
Ainda no mesmo Decreto, no Art. 3°, parágrafo único, prevê a oportunidade de que o "aprendiz que possui deficiência mental deve ser levado em consideração habilidades e competências relacionadas à profissionalização e não a escolaridade formal", isso é outro ganho para as pessoas que possuem tal deficiência.
 
Além disso, a SEESP-Secretaria de Educação Especial, nas Diretrizes da Educação Especial, bem como a Secretaria Média e Tecnológica, orienta para ações com esta clientela e, o SENAI como agencia formadora, segue orientações oriundas do Ministério de Educação. Quanto à vertente REG-Raça/Etnia e Gênero, justificamos a necessidade de ações não apenas pela questão social, mas especialmente pelos Programas relacionados à inclusão desenvolvidos pela indústria, bem como, as orientações recebidas das organizações governamentais (Secretaria de Políticas para Integração Racial e a Secretaria de Políticas para as Mulheres) que prevê a igualdade de oportunidades, e cabe ao SENAI oferecer capacitação profissional para esse público vulnerável, bem como, para todo e qualquer cidadão. Isso também está relacionado à missão do SENAI e a agenda do trabalho decente (ONU).
 Quanto à vertente de idosos a maior justificativa para monitorar e avaliar as ações desenvolvidas em 2008 para a implantação do projeto "SENAI para a Maturidade", levando em consideração as especificidades de cada DR e as recomendações de políticas internacionais e nacionais sobre envelhecimento é as mudanças ocorridas na estrutura etária brasileira, sendo que a mais significativa foi o envelhecimento populacional.
 
A proporção da população brasileira com 60 anos e mais passou de 4,1%, em 1950, para 8,6%, em 2000. O processo de envelhecimento populacional, mais expressivo entre as mulheres, impõe profundas transformações às sociedades: à estrutura familiar, às demandas por políticas públicas, à distribuição de recursos, às identidades sociais e individuais.
Altera-se a formulação e o equacionamento de questões estruturais relacionadas à educação, qualificação profissional, emprego, renda e sistema previdenciário, entre outras, em um período de expansão do processo de globalização da economia, de aceleradas e profundas mudanças tecnológicas com a informatização do processo produtivo.
 
O Brasil reconhece as necessidades específicas de profissionalização do trabalhador idoso e em processo de envelhecimento na Política Nacional do Idoso (PNI Lei n°. 8.842, de 4 de Janeiro de 1994) e em seu Estatuto do Idoso (Lei n°. 10.741, de 1° de Outubro de 2003).
Também é signatário de Tratados e Acordos Internacionais que contemplam as especificidades de tratamento à população idosa (II Assembléia Mundial do Envelhecimento, ONU, 2002). Entretanto, o cenário político dessa revolução tecnológica, o atual perfil do Estado Nacional e a delimitação de suas políticas públicas abrem espaço para que outras instituições sociais atuem na promoção da qualificação e da re-profissionalização da força de trabalho mais idosa, na maioria com inadequada formação para as novas exigências da informatização e da globalização.
 
Ao longo de sua história, o SENAI sempre se destacou como vanguarda no enfrentamento dos avanços tecnológicos e das mudanças conjunturais relacionadas ao processo de trabalho. Nesse cenário de profundas transformações demográficas, tecnológicas, sociais, econômicas e culturais novos desafios lhe são apresentados.
Factores clave: 
  • Metodologia testada, aprovada e disseminada em todo o Brasil para atuar com pessoas com deficiência na educação professional
  • Orientações técnico-pedagógicas para atuar com pessoas com deficiência na educação profissional do SENAI
  • Criação e desenvolvimento de produtos inovadores para facilitar a vida e a independência de pessoas com deficiência (novos e/ou adaptados)
  • Criação de documentos técnicos e materiais didáticos para atuar na educação profissional com público vulnerável
  • Capacitação de docentes em vários cursos como: LIBRAS - Língua Brasileira de Sinais, Braille - Matemática e portugués, Curso de identificação de alunos com altas habilidades, etc.
  • Reconhecimento da indústria e apoio na inserção e trabalhadores através do trabalho decente
  • Reconhecimento das escolas do SENAI e satisfação dos clientes (Departamentos Regionais e Indústria)
Evaluación: 
  • Mais de 42.000 alunos com deficiência incluídos nos cursos de eduação profissional do SENAI
  • Criação de projetos internacionais baseados na metodologia testada e implantada no Brasil, através de ajustes necessários (Marrocos: 2 projetos junto a ABC)
  • Maior n° de empregados inseridos na indústria oriundos de comunidades vulneráveis e sem perspectivas profissionais
  • Melhora de empregabilidade e renda das pessoas vulneráveis seja através do emprego formal ou do empreendedorismo
  • Melhora no nível de capacitação docente para atuar com público vulnerable
Resultados: 
  • Sensibilização e inserção de mulheres em cursos estigmatizados para homens na educação profissional e vice-versa
  • Capacitação de mais de 32 comunidades quilombolas e indígenas, inclusive em regiões de difícil acesso, levando em consideração a cultura própria e a preservação da mesma
  • Reconhecimento da comunidade interna e externa pelo trabalho de inclusão na educação profissional realizado pelo SENAI
  • Criação de soluções tecnológicas necessárias para atuar com alunos com deficiencia
  • Criação de metodologia para capacitação da matemática em Braille
  • Inclusão de ações de gênero no projeto EBEP
  • Resultados da implantação das ações da vertente "idosos"
  • Resultados das vertentes PNE, raça/etnia, gênero e idosos
  • Capacitar e divulgar exp. com PNEEs - Pessoas com Necessidades Educacionais Especiais
  • Curso de LIBRAS -distancia p/docentes- SENAI
  • Projeto de inserção de ex-funcionários através do gente de casa
  • Amostra nacional PSAI na OC 2010
  • Curso de identificação de alunos altas habilidades
Financiamiento: 
SENAI
Información de contacto: 
Unidade de Educação Profissional e Tecnológica E-mail: [email protected] http://www.senai.br/psai/default.asp